Fraude bancária e roubo de identidade lideram preocupação no País

Com os ciberataques cada vez mais sofisticados e intensos, o mundo está preocupado em proteger informações estratégicas e pessoais em todas as esferas. É o que reitera pesquisa Unisys Security Index 2017, divulgada pela Unisys. Realizado em abril deste ano com consumidores e cidadãos de 13 países, incluindo o Brasil, o estudo aponta que 72% dos brasileiros estão preocupados com roubo de identidadee também com fraudes bancárias.

A preocupação dos brasileiros com ataques de hackers (69%) subiu 19%, em comparação aos dados registrados pela pesquisa há três anos. O que significa que as ameaças com vírus e ciberataques têm tirado o sono de empresas e de usuários conectados e móveis em solo nacional. De acordo com pesquisa de segurança da informação da PwC, realizada em 2016, o Brasil aumentou em sete vezes o número de ataques cibernéticos em relação a 2015.

O cenário é de atenção. Enquanto no mundo o avanço foi de 38%, por aqui a marca atingiu 274%, totalizando mais de 8 mil casos e perdas financeiras estimadas em US$ 2,45 milhões.
Fato é que a pontuação geral do Brasil no Unisys Security Index 2017 totalizou 189, considerado alto nível de preocupação em uma escala de 0 a 300. Sendo assim, o País ficou em 4 º lugar no ranking de preocupação com a segurança, precedido de Filipinas (243), México (216) e Malásia (215).

Entre os maiores saltos na preocupação global, comparados ao estudo de 2014, lidera a Holanda, com aumento de 59 pontos, seguida da Austrália (51), Reino Unido (41), Estados Unidos (46), Colômbia (18) e México (13).

O levantamento, realizado pela consultoria global Reputation Leaders, está dividido em quatro pilares: Segurança Nacional – em relação à guerra e terrorismo, além de desastres naturais graves, Segurança Financeira – fraudes com cartões bancários e incapacidade para cumprir com obrigações financeiras, Segurança na Internet – transações online, vírus, ciberataques, e Segurança pessoal – roubo de identidade e segurança pessoal.

O fantasma do roubo de identidade
De acordo com a Unisys, a preocupação dos brasileiros com o roubo de identidade e a fraude de cartões de crédito demonstra que os consumidores não têm o controle que gostariam de ter sobre seus dados pessoais. A empresa acredita que o uso massivo do ambiente digital para uma ampla gama de transações abre portas para novos tipos de fraudes. As organizações devem garantir que suas soluções abriguem segurança avançada.

“Se conseguíssemos encontrar uma maneira para realmente verificar identidades, seja para compra de um ingresso para o cinema, um empréstimo ou passaporte, as pessoas se sentiriam mais protegidas”, diz Leonardo Carissimi, diretor de Soluções de Segurança da Unisys para América Latina.

Segundo o executivo, hoje, os consumidores estão mais preocupados do que nunca com a segurança e a privacidade. “Empresas e governo precisam inserir mecanismos de segurança em tudo o que fazem, protegendo os perímetros e as comunidades que existem na rede”, alerta e avisa: “A melhor maneira é construir a confiança. As ameaças de segurança cibernética existem e não podemos fechar a porta depois de um ataque”.

Todo cuidado é pouco
A segurança da informação tem e deve ser cada vez mais estratégica nas corporações, defende Carissimi. Para ele, tão importante (e talvez até mais) quanto um desenho de predição, é uma arquitetura estratégica de detecção e resposta. Isso porque, ele explica, que com os ataques cada vez mais intensos e sofisticados, na maior parte das vezes não há tempo hábil para se proteger, ou para blindar a rede preventivamente.

É preciso, ensina Carissimi, estar preparado para detectar o ataque muito rapidamente e responder a ele com a mesma velocidade. “Para isso, a segurança da informação ganhou fortes aliados como tecnologias-chave, que incluem Analytics e Inteligência Artificial. E é estratégica, devendo permear todas as áreas de negócios, participando em conjunto desde o início de todos os projetos. Levamos aos nossos clientes esse entendimento e damos suporte para o desenho de uma estratégia de segurança em linha com o atual cenário.”

Recomendações da Unisys:
1-Pare de pensar como seria bom ter a segurança. A Segurança é essencial e deve fazer parte de tudo o que fazemos
2-A segurança deve ser mais visível na corporação
3-Foque primeiro em prevenção… Mas é importante presumir que sua organização será comprometida
4-Ajude a fortalecer padrões de segurança internacionais
5-Trabalhe com parceiros confiáveis para encontrar soluções

Fonte: http://bit.ly/2sZQF0S

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s